Alvorecer


Era madrugada de um dia chuvoso, nada escutara
além do gotejar da chuva e do ruído dos fortes trovões,
o silêncio tomara conta de mim, reduzindo-me a um
olhar.


O céu estivera encoberto por densas nuvens
avermelhadas, a chuva em momento algum cessara,
Até que a luz intensa e garrida do luar rompera
a escuridão.


Repentinamente todo o céu clareara-se,
rompera-se o silêncio, mediante a
majestosos relâmpagos e ensurdecedores
trovões, dignos de temor.


A chuva lavara as ruas e calçadas,
que estavam desérticas, nenhum ser vivo, nenhum
carro se quer trafegara por aquelas ruas sujas,
naquela madrugada.


Surpreendentemente a chuva cessara o luar apagara-se
e no céu despertara o alvor da manhã o raiar do sol
rapidamente tomara conta de todo o céu, as nuvens
dissiparam-se ao vento revelando um dia de
brilho ofuscante, o dia em que te conheci.



Arthur A. Melo.

Unknown

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.

6 comentários:

  1. ótimo os textos e as paisagens e fotos!! combinação legal!!

    ResponderExcluir
  2. muito bonito ! legal o blog curto muito verde
    abç

    www.celebritypoke.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Bonito texto e desculpa demorar pra comentar, minha net caiu..rs acontece as vezes, bjs

    http://infonews.blogspot.com

    ResponderExcluir