Anúncios publicitários do século passado que perderam o sentido

A publicidade é uma atividade profissional dedicada à difusão pública de idéias associadas a empresas, produtos ou serviços, especificamente, propaganda comercial. Sendo assim, ao analisarmos o material publicitário de um determinado período histórico somos capazes de inferir sobre a sociedade que viveu na época do material. Vejamos abaixo algumas publicidades de medicamentos, da primeira metade do século passado, que prometiam curas milagrosas:

O anúncio publicado no jornal, em 1 de maio de 1916, dizia: "Pobreza do sangue e vício! Riqueza do sangue faz a felicidade! E esta riqueza se adquire graças ao Quinium Labarraque.", fazia-se uma chacota relacionando a doença à pobreza e a felicidade à riqueza, revelando a grande desigualdade social vivida na época.

Anúncio de 17 de maio de 1935, do até hoje produzido Biotônico Fontoura. Sob o slogan: O Brasil quer gente forte “Antes fraco e desanimado, um imprestável. Hoje cheio de saúde e vigor graças ao Biotônico Fontoura”. Vale lembrar que em 1935 Luis Carlos Prestes retornava ao Brasil incumbido de promover no país uma revolução armada que possibilitasse a instalação de um governo revolucionário, logo no instável clima político era necessário despertar a população para formação de contingente.

Anúncio descrevia o suicídio como consequência de doenças e dizia: "Previnam-se especialmente contra as enfermidades dos rins e da bexiga, tomando cada mez, durante alguns dias, alguns comprimidos 'Schering' de urotropina, o maior desinfectante das vias urinárias.", talvez seja esse um dos piores anúncios da história da publicidade brasileira, mostra o descomprometimento das empresas para com a população, fazendo uma apologia indireta ao suicídio.

O anúncio retrata um pai batendo no filho, enquanto este queria apenas o xarope Bromil para curar sua tosse. Sem muito esforço podemos perceber que a imagem traduz a expressão popular "mostrar o que é bom para a tosse". A propaganda foi veiculada no dia 3 de fevereiro de 1938, nos dias de hoje certamente ela seria vetada pelos órgãos de defesa dos direitos das crianças.


no anúncio vemos o seguinte diálogo:
“- Sou magra de nascença…nunca passarei disto!
- Eu dizia o mesmo antes de usar Vikelp!"
Acompanhado do slogan: "Os magros de nascença podem ganhar dois quilos numa semana e ter um aspecto melhor. Use Vikelp durante uma semana e veja a diferença. Se V.S. não lucrar ao menos dois quilos, devolveremos o seu dinheiro”. Por mais incrível que possa parecer trata-se de um remédio para engordar, o anúncio data de 1940, quando os padrões de beleza eram outros, as rechonchudas que faziam sucesso. Agora vemos porque nossas avós sempre nos querem engordar.

Como podemos perceber a sociedade se modifica no decorrer dos anos e assim algumas campanhas vão perdendo o sentido, concomitantemente aos padrões impostos pela sociedade. E hoje com a quantidade de informação que recebemos, diariamente, o prazo de validade das campanhas publicitárias tendem a ser bem menores.

Fonte: Wikipédia



Arthur Melo

Phasellus facilisis convallis metus, ut imperdiet augue auctor nec. Duis at velit id augue lobortis porta. Sed varius, enim accumsan aliquam tincidunt, tortor urna vulputate quam, eget finibus urna est in augue.

4 comentários:

  1. Muito bom o anuncio do Biotonico

    ResponderExcluir
  2. Bem interessante o artigo, agora entendo porque cresci tomando remédio para engordar rs, como se minha magreza fosse doença, hoje vivo bem com ela, não preciso tomar VIKELP kkk.

    Abraço!

    ResponderExcluir